Educar A Través de la Investigación, Educar A Través del Juego: El Role-playing Game (RPG) Como Estrategia De Enseñanza En La Educación Superior

Rafael Ramires Jaques, Jean-Claude Régnier, Nadja Maria Acioly-Régnier

Resumen


A educação é imprescindível em praticamente todas as sociedades. É uma das formas pela qual se pode transformar a realidade. Buscando apoiar professores e alunos na potencialização de suas aprendizagens, discutimos neste artigo a união entre duas abordagens pedagógicas: educar pela pesquisa e educar pelo jogo. Em geral, os jogos são mencionados no âmbito educacional relacionados à Educação Infantil, portanto discutimos neste artigo como é possível utilizá-los no Ensino Superior, voltado a jovens e adultos. Para esse fim, foi escolhido o Role-playing Game (RPG), um tipo de jogo falado, no qual os personagens são criados e interpretados pelos jogadores, em uma espécie de teatro improvisado. Acreditamos que o ensino pela pesquisa possa ser uma estratégia de ensino empregada na construção de jogos do tipo RPG, associando elementos de entretenimento à prática do ensino. Articulamos, neste trabalho, uma forma de levar o jogo à sala de aula para gerar aprendizagem, mas não apenas por meio do ato de jogar, mas também pela construção do jogo. A prática do ensino pela pesquisa pode ser empregada no embasamento necessário para a concepção do enredo e da ambientação das partidas. Assim sendo, acreditamos que – embora seja possível utilizar o RPG como ferramenta pedagógica para ensinar conteúdos – ter a oportunidade de construir jogos, histórias e aventuras pode ser tão proveitoso quanto o próprio ato de jogar.


Texto completo:

DESCARGAR.PDF

Referencias


Abramovay, M., Castro, M., Silva A., & Cerqueira, L. (2016). Diagnóstico Participativo das Violências nas Escolas: falam os Jovens (1a ed.). Rio de Janeiro: FLACSO. Recuperado em 12 julho, 2018 de http://flacso.org.br/?publication=diagnostico- participativo-das-violencias-nas-escolas-falam-os-jovens

Acioly-Régnier, N.M., Andrade, V.L.V.X. de Régnier, J-C. (2013). Changements socio-historiques et nouvelles formes d’activités dans des situations de formation universitaire : approche A.S.I. pour l’étude d’un dispositif pédagogique basé sur la construction de Bandes Dessinées à l’aide d’un logiciel. In J.-C. Régnier, M. Bailleul & R. Gras (eds.), L’analyse statistique Implicative : de l’exploratoire au confirmatoire, 335-363.

Acioly-Regnier, N.M. et Régnier, J.-C. (2016) L'usage des TIC pour la formation des enseignant-e-s et la recherche en éducation à partir d’un dispositif pédagogique technologique hybride (DPTH) : apports des logiciels pour la construction et l’analyse des données. 3e Colloque international en éducation : Enjeux actuels et futurs de la formation et profession enseignante. Montréal, 5 et 6 mai 2016.

Almeida, P. (2003). Educação lúdica: técnicas e jogos pedagógicos (11a ed.). São Paulo: Loyola.

Anastasiou, L., & Alves, L. (2007). Estratégias de Ensinagem. Recuperado em 13 julho, 2018, de https://moodle.ufsc.br/pluginfile.php/1390223/mod_resource/content/1/ anastasiou.pdf

Behrens, M. (1999). A prática pedagógica e o desafio do paradigma emergente. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, 80(196), 383-403.

Borralho, M., & Viegas, A. (2005). Para uma Escola com Masmorras e Dragões: as estratégias do jogo de R.P.G. na sala de aula. VIDETUR, 31. Recuperado em 3 junho, 2018, de http://hdl.handle.net/10216/23037

Castanho, M. (2007). Pesquisa em Pedagogia Universitária. In Cunha, M. (Org.). Reflexões e práticas em pedagogia universitária. Campinas: Papirus.

Dörner, R., Göbel, S., Effelsberg, W., & Wiemeyer, J. (2016). Serious Games: Foundations, Concepts and Practice. New York: Springer.

Jaques, R. (2016). Educação e linguagem: as situações enunciativas do Role­playing Game (RPG) como ferramenta pedagógica de constituição da alteridade (Dissertação de Mestrado). Recuperado em 18 julho, 2018, de https://repositorio.ucs.br/xmlui/handle/11338/1416

Jaques, R. (2017). A Bandeira do Elefante e da Arara – Livro de Interpretações de Papéis na Sala de Aula. In Kastensmidt C. A Bandeira do Elefante e da Arara: Livro de Interpretação de Papéis. (pp. 164-172). São Paulo: Devir.

Moraes, R., Galiazzi, M., & Ramos, M. (2012). Pesquisa em Sala de Aula: fundamentos e pressupostos. In Moraes, R., & Lima, V. (Orgs.). Pesquisa em Sala de Aula: tendências para a educação em novos tempos. (pp. 11-20). Porto Alegre: EDIPUCRS.

Moraes, R. (2012) Educar pela Pesquisa: exercício de aprender a aprender. In Moraes, R., & Lima, V. (Orgs.). Pesquisa em Sala de Aula: tendências para a educação em novos tempos. (pp. 93-104). Porto Alegre: EDIPUCRS.

Paviani, J. (2010). Problemas de filosofia da educação: o cultural, o político, o ético na escola, o pedagógico, o epistemológico no ensino. (8a ed.). Caxias do Sul: Educs.

Pereira da Cunha, D., Acioly-Regnier, N. et Ferreira, A. L. (2015). Interculturalité et éducation dans un contexte de mondialisation : Apports a la recherche en interculturalité dans la perspective d’une médiation instrumentale élargie, communication présentée au XVème Congrès international de l’ARIC. Strasbourg, France.

Ramos, M. (2012) Educar pela Pesquisa é Educar para a Argumentação. In Moraes, R., & Lima, V. (Orgs.). Pesquisa em Sala de Aula: tendências para a educação em novos tempos. (pp. 21-38). Porto Alegre: EDIPUCRS.

Rocha, M. (2006). RPG: Jogo e conhecimento - o role playing game como mobilizador das esferas do conhecimento (Dissertação de Mestrado). Recuperado em 15 julho, 2018, de https://www.unimep.br/phpg/bibdig/aluno/visualiza.php?cod=111

Santos, E. (2010). O lúdico no processo ensino-aprendizagem. Fórum de Educação e Diversidade, 4. Recuperado em 3 junho, 2018, de http://need.unemat.br/4_forum/artigos/elia.pdf

Whitton, N. (2010). Learning with digital games: a practical guide to engaging students in higher education. New York: Routledge.


Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.