A Memória como ação educativa

Divania Luiza Rodrigues Kono, Terezinha Oliveira, José Ricardo Pierpauli

Resumen


Neste trabalho, que se estrutura segundo as orientações da História Social, refletiremos acerca da memória como parte da virtude da prudência e acerca da elaboração educativa proposta pelo teólogo e filósofo alemão Alberto Magno (ca.1200-1280), no contexto histórico do século XIII. A memória, como destacada no tratado IV De prudentia da obra De bono, se expressa no campo da moral, a saber, no campo do agir humano. Ainda que exista uma conotação retórica da memória, como técnica de memorização (mnemotécnica) segundo os ensinamentos do Cristianismo, é no campo do agir humano onde reside a ênfase do problema da memória. Para o homem prudente, que age segundo a razão, a memória é fundamental para orientar a tomada de decisões no presente. Assim, é possível aprender com a experiência do passado para agir bem e evitar o mal.


Palabras clave


Educação; Memória; Alberto Magno; Século XIII

Texto completo:

descargar PDF

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Copyright (c) 2015 Revista Chilena de Estudios Medievales